Planos F.I.R.E.

Devo bem recentemente fui exposto ao acrônimo F.I.R.E. (Financial Independence, Retire Early). Creio que uma das maiores referências lá de fora é o blog do Mustache. Sempre que tenho um tempo extra, leio os posts seguindo a ordem cronológica de publicação.

Mais recentemente, descobri que o nosso caro SrIF365 já faz parte da comunidade F.I.R.E. aqui no Brasil. Recomendo muito o seu podcast até mesmo como forma de estimular e incentivar aqueles que estão na mesma busca.

Nessas últimas semanas passei a fazer contas e descobri que usando a regra da retirada dos 4%, R$ 900.000,00 seria minha meta. Dessa forma, eu atualmente estaria com quase 1/3 do valor.

No entanto, eu ainda sou relativamente novo, gosto do meu trabalho e não quero me aposentar com uma renda apertada. Na minha lista de gastos futuros, possivelmente após a aposentadoria ou redução do trabalho, estão:

  1. Cerca de duas viagens mais longas durante o ano;
  2. Montar uma casa mais funcional (atualmente estou bem feliz com a minha, sendo bastante confortável para os meus padrões), mas, como sou bastante caseiro, preciso melhorar alguns aspectos.

Apesar do ponto 2 acima ser algo mais pontual, que não comprometerá os meus custos mensais, o ponto 1 é algo que vai afetar a retirada média da minha renda passiva mensal.

Outro aspecto que muitos acabam não levando em consideração é que o nosso custo com a saúde tende a aumentar vertiginosamente à medida que a gente envelhece; logo, o meu custo atual não cobriria isso. Atualmente eu consigo economizar próximo de 60% da minha renda anual. Dessa forma, também quero ter uma renda passiva que me deixe bem folgado, tendo uma sobra considerável para poder ser reaportado.

Considerando tudo que foi mencionado acima, cheguei  ao número de R$ 3.000.000,00, precisando de mais 12 anos de trabalho até chegar lá. Acho que estou até sendo otimista, pois em quase 3 anos de investimento, tenho conseguido uma média de 1% a.m. de rendimento. Nesse cenário, eu teria uma renda mensal de R$ 10.000,00, que está muito acima do que eu realmente preciso e gastaria hoje.

E quanto a vocês, meus caros? Já fizeram as contas de quanto tempo precisam para também serem um F.I.R.E.? E qual o número mágico de vocês? Acham que estou sendo muito otimista? Gostaria de ouvir de vocês também.

É isso!

10 comentários em “Planos F.I.R.E.

  1. Oi EP, tudo bem? Acho que o seu número mágico de 3 milhões para uma pessoa solteira, é bem bom. Você disse que descobriu a comunidade FIRE recentemente, vai ver que um mundo vai se abrir diante dos seus olhos rsrs. Acho muito legal que a comunidade FIRE aqui no Brasil tem crescido a cada dia, e ter blogs e compartilhar ideias é uma forma de acelerarmos o nosso crescimento, já que aprendemos com o erro e acertos dos colegas. Um grande abraço. Yuka.

    viversempressa.com

    Curtir

      1. Que legal EP, o minimalismo pra mim, acabou sendo uma alavanca para a IF, é um dos principais motivos de mesmo aportando bastante, não ficar com aquela sensação de que estou deixando de viver. Beijo.

        Curtir

  2. Olá, EP.

    Lembro que quando estava bem no comecinho e descobri a regra dos 4% comecei a estimar agressivamente este número, tentando cortar coisas do custo mensal que achei que não deveria focar, etc, e estimei bem por baixo, na faixa de uns R$5000 mensais.

    Hoje sei melhor do que isso e levo em consideração uma margem de segurança, uma margem de oportunidade e – mais importante – a inflação dos custos de vida até eu atingir tal marco.

    Você mencionou que levaria uns 12 anos até chegar ao capital necessário, mas levou em consideração a inflação durante este tempo? Lembro de um vídeo do Rafael Seabra onde ele questionava exatamente isso: renda passiva de R$10k e os cuidados que precisam ser tomados. Tem que garantir que até lá, os 10k mensais se reajustarão de alguma forma para conseguir acompanhar sua vida de aposentado para sempre. Usando um IPCA de 4%, R$10000 são R$16160 após 12 anos.

    Hoje penso em uns R$6k passivos, mas estruturando um patrimônio que se “reabasteça” com as sobras do mês e produza renda crescente com o passar do tempo.

    Abraços e seguimos em frente!

    Pinguim Investidor
    https://pinguiminvestidor.com

    Curtir

    1. Você tem razão, Pinguim. Ao mesmo tempo que esse aspecto não foi levado em consideração nos cálculos, não chego a me preocupar porque também tem outra fator bem importante não incluído: anualmente eu tenho tido um considerável reajuste de salário, na média de 10%. Logo, os meus aportes tendem a crescer, já que não planejo aumentar o meu custo de vida. Além disso, eu gosto de ir aproveitando as oportunidades de renda extra que vão surgindo ao longo do caminho pra poder agregar nos aportes. Dessa forma, acredito que no longo prazo os números meio que vão se ajustando.

      Abração e se cuida.

      Curtido por 1 pessoa

      1. Olá EP/Pinguim,

        Todos falam que a inflação precisa ser levada em consideração, eu concordo, porém deveria focar mais na sua inflação pessoal, veja bem, eu tenho planilhado em torno de 10 anos dos meus gastos/renda, tirando o inicio de carreira que meus gastos eram muito baixos (Morando com os pais/solteiro), nos últimos 5 anos meus gastos tem sido constante, sendo assim pouco importa se o governo informa que a inflação nesse período foi de 20%, a minha inflação pessoal não mudou.

        Bom esse é só um outro ponto de vista que acho que devemos levar em consideração.

        abs.

        Tom.

        Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s